Bolívia aplica chibatadas para quem não usa máscara?

Circula um vídeo pela internet em que supostamente a população boliviana estaria sendo punida fisicamente por descomprir o decreto do uso de máscaras.

Recebemos esta denúncia por meio do aplicativo @eufiscalizo e apuramos que esta informação é falsa e o vídeo em questão não ocorre na Bolivia, mas sim, no Peru.

Durante o período de pandemia uma série de medidas sanitárias vêm sendo adotadas com o intuito de conter o avanço do novo coronavirus em todo mundo. Dentre elas, o uso prolongado de máscaras em lugares públicos.

Na Bolívia, circulam boatos de que a população vem sofrendo punições físicas por desrespeitar as medidas de isolamento ao transitar sem máscaras nas ruas. Essa informação de que pessoas estariam recebendo chibatadas pelas forças militares do país não procede. É falsa. E ainda,não passa de uma grande confusão de localidade geográfica.

Não há qualquer relato na cobertura jornalística ,até o momento,em que tais cenas de agressões estejam sendo perpetradas contra a população boliviana, ainda mais com concessão por parte do estado. Além disso, o suposto ​vídeo​ onde é possível ver alguns homens receberem punições não ocorre na Bolivia e sim no Peru.

Entenda o caso

Em 16 de março deste ano, o presidente do Peru,Martín Vizcarra, sancionou quarentena obrigatória no país, permitindo apenas a saída de pessoas de suas casas para realizar compra de insumos, mantimentos básicos e material de higiene pessoal.

No entanto o Peru é conhecido por ter milhares de pessoas cujo estilo de vida difere-se do convencional, por questões culturais. No Peru existem os andantes, grupos de pessoas que se deslocam de lugares mais distantes da capital para poder trabalhar por meio da venda de produtos à base de matéria-prima básica. E que infelizmente, sofrem de maneira específica devido as duras medidas adotadas pelo país.

No caso em questão, os homens que aparecem no vídeo recebendo punições, são jovens que, de acordo com o portal ​Infórmate Perú​ foram apreendidos em camponde futebol pelos Ronderos, que são considerados representantes da justiça em suas comunidadese, defensores do território e do ambiente, sendo estes, protegidos por lei, entretanto, mas que não fazem parte da força policial do país.Os jovens foram apreendidos por descumprirem o isolamento, e não apenas por estarem sem máscaras.

É evidente, que medidas assim são controvérsias por utilizar-se da força repressiva como instrumento pedagógico no enfrentamento da pandemia ao invés da comunicação educativa, porém por lá, estas medidas são legitimadas uma vez que estas pesoas são eleitas por pessoas das comunidades camponesas ao qual pertencem.

Por sua vez, os ​Ronderos​ são brigadas de grupos de pessoas eleitas numa assembleia popular que, de acordo com os seus costumes, resolvem casos de justiça peculiares, como infidelidades e roubos de galinhas, e podem aplicar castigos.

Vale ressaltar que agressões físicas durante o período da pandemia ocorreram em outras localidades, como no caso da Índia, onde ​policiais chegaram a agredir com pauladas​ pessoa e motociclistas que estavam desrespeitando o isolamento social.

Essas medidas são repudiadas por todo mundo uma vez que, não transmitem a população uma mensagem efetiva de conscientização a respeito dos cuidados referentes ao enfrentamento do novo coronavirus.

Atualmente o Peru contabiliza uma quantidade de 337.724 pessoas infectadas e o número de óbitos chega a 12.417.

Ja na Bolívia, os números registram um total de 50.867 pessoas contaminadas e os óbitos somam 1.898.

Portanto, são falsas as atribuições feitas ao governo boliviano, de aplicar punições físicas a quem descumprir as medidas de isolamento social no país. Assim,é estritamente importante não confundir uma nação com outra, pois apesar de fazer fronteira, cada um desses países adota medidas sanitárias e estratégias diferentes para combater o novo coronavirus.

Equipe NUJOC

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *