Aspirina auxilia no tratamento de trombose em decorrência da COVID-19?

 Aspirina auxilia no tratamento de trombose em decorrência da COVID-19?

Foto/Reprodução: Internet

O WhatsApp é uma rede social que aproxima pessoas do mundo inteiro, os benefícios dessa plataforma são incontáveis, pois, permite que os usuários troquem mensagens instantâneas, fotos, vídeos e áudios tendo como única condição o acesso à internet, gerando uma conexão mundial. Ficou mais fácil se comunicar com várias pessoas ao mesmo tempo pelos chamados grupos de WhatsApp, onde você consegue reunir amigos e familiares todos em um mesmo grupo.

Porém, por ser uma plataforma instantânea e de fácil acesso, a proliferação de Fake News (notícias falsas) dominaram os famosos grupos de WhatsApp, pois uma vez compartilhada uma mensagem ela toma proporções gigantescas. O Nujoc Checagem recebeu do “Aplicativo Eu Fiscalizo”, uma mensagem disseminada em um grupo, afirmando que a Covid-19 provoca coagulação no sangue, causando trombose e que o tratamento mais adequado para a doença seria o uso de “Aspirina e 100mg Empromax’’.

Mensagem propagada no grupo de WhatsApp- Foto/Reprodução: WhatsApp

A infecção pela Covid-19 pode apresentar um maior risco para a formação de coágulos sanguíneos em pacientes com estado grave da doença. Como explica Luany Mesquita, hematologista do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará. Contudo, a aspirina não é eficaz no tratamento da COVID-19, assim como nas complicações provenientes de uma infecção.

Com informações do Viva Bem da Uol, uma coisa é certa: para quem não tem nada, não adianta sair tomando aspirina feito louco. Ela não está para o coronavírus como alho está para o vampiro nas ficções de terror. Não previne, nem trata a infecção precocemente — aproveitando, repita o mantra de que não existe tratamento precoce para esse raio de doença. Aliás, tampouco adianta engolir aspirina com aquela ideia ultrapassada de “afinar o sangue”, como o povo diz por aí, se você nunca teve um infarto ou um AVC.

Segundo o G1, em junho, os resultados iniciais de um dos maiores testes do Reino Unido sobre o analgésico e anticoagulante de uso comum demonstraram que a aspirina não aumenta as chances de sobrevivência de pacientes gravemente doentes de Covid-19.

Os cientistas por trás do teste, que examina uma variedade de tratamentos possíveis para Covid-19, avaliaram os efeitos da aspirina em quase 15 mil pacientes hospitalizados infectados com o novo coronavírus.

“Embora a aspirina tenha sido associada a um pequeno aumento na probabilidade de sair com vida, isto não parece suficiente para justificar seu uso generalizado em pacientes hospitalizados com Covid-19”, disse Peter Horby, co-investigador-chefe do teste.

Quanto a ocorrência de trombose, um estudo publicado pelo jornal oficial da Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia mostra que 25% dos pacientes de internação com Covid-19 apresentam embolia pulmonar ou trombose venosa profunda de membros inferiores. “Ainda não podemos afirmar o que causa esse maior risco, mas existem algumas teorias para essa situação e uma delas é que a trombose acontece devido a uma hiperinflamação do organismo, o que provoca uma desregulação do sistema de coagulação”, resume Luany Mesquita. “Como a Covid-19 é uma doença nova, existem vários estudos em andamento e seu mecanismo ainda não está totalmente esclarecido”, ressalta.

Uma das possibilidades levantadas para surgimento da trombose nos casos de Covid-19 é que o perfil da pessoa infectada também é um fator de risco. Como em pacientes com câncer, doença cardiovascular, pessoas com mobilidade reduzida e obesidade, por exemplo. O uso de anticoagulantes é uma das alternativas no tratamento das tromboses. A medicação ajuda a diluir os coágulos de sangue e evita novas aglutinações das células sanguíneas.

Equipe NUJOC