Eficácia da Coronavac está dentro do recomendado pela OMS

 Eficácia da Coronavac está dentro do recomendado pela OMS

Dentre as inúmeras Fake News relacionadas a pandemia da covid-19, a vacina contra a doença é, sem dúvidas, um dos grandes focos daqueles que disseminam notícias falsas. No Brasil, a vacina Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, tem sido alvo de mentiras compartilhadas na internet, a exemplo de um vídeo encaminhado para checagem pelo aplicativo Eu Fiscalizo.

O vídeo, produzido pelo Canal Hipócritas, foi compartilhado pela deputada federal Carla Zambelli (PSL) no dia 16 de janeiro deste ano. O conteúdo tenta soar bem-humorado e questiona a eficácia do imunizante Coronavac, chamado por muitos de “vacina chinesa”. Na legenda da publicação, a deputada pergunta: “Você tomaria a vacina chinesa? Ou você [sic] opta pelas vacinas que têm mais de 70% de eficácia?”.

O vídeo insinua que a vacina do Instituto Butantan apresenta apenas 50% de chances de eficácia, e que por isso os brasileiros deveriam evitá-la. Essa é mais uma informação falsa.

No início de janeiro deste ano o Butantan apresentou todos os detalhes sobre a eficácia e segurança da vacina Coronavac. O resultado do estudo mostrou que nos casos graves e moderados a eficácia é de 100%, para os casos leves, 78% e, nos muito leves, 50,38%.

Essa informação, no entanto, é compartilhada de maneira tendenciosa, dando a entender que a vacina não é segura o suficiente. Assim, ao contrário do que diz o vídeo publicado pela deputada, os dados do Butantan significam que: ao tomarmos a Coronavac, temos 50,38% menos chances de contrair covid-19. Se contrairmos, há 78% de chance de não precisarmos de qualquer atendimento médico e 100% de certeza de que a doença não vai se agravar.

Em uma publicação no seu site oficial, o Butantan esclarece as razões de o estudo ter apontado eficácia de somente 50,38% nos casos leves. “O estudo traçou um estudo diferenciado ao selecionar somente profissionais da saúde e que atuam diretamente na linha de frente. Nenhuma das demais vacinas foi testada em um ambiente de incidência tão alta. Nossa vacina ter apresentado uma eficácia de 50,38% não quer dizer que não seja boa. Pelo contrário, a eficácia de 50,38% da Coronavac está dentro do recomendado estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Anvisa, e quando comparada a outras vacinas como a da gripe, por exemplo, a eficácia é ainda maior”, diz um trecho do texto.

O Instituto Butantan também elaborou e disponibilizou em seu site oficial uma sessão para tirar dúvidas e esclarecer muitas das informações que surgem diariamente envolvendo a vacina Coronavac. O conteúdo você pode acessar neste link.

Equipe NUJOC