Fake news e privacidade nas redes sociais

 Fake news e privacidade nas redes sociais

O Instituto Datafolha de Pesquisa em parceria com o Facebook realizou em julho de 2020 a segunda onda da pesquisa de campo sobre fake News no Brasil com realização de 1.533 entrevistas, englobando as 5 regiões do país, sendo que 26,2% dos entrevistados eram do nordeste, 15,6% das regiões norte e centro-oeste, 43,5% do sudeste e 14,7% do sul.

O perfil da amostra aponta para o fato de que 99% dos internautas entrevistados usam as redes sociais para se informar e se comunicar, enquanto que 74% utiliza para trabalhar. O aplicativo de mensagem WhatsApp é o líder na utilização do público pesquisado, sendo que 91% dos internautas acessam o WhatsApp para se informar, enquanto que 97% para se comunicar e 68% para trabalhar. No que concerne a se informar o Google surge em segundo lugar, seguido pelo Youtube e Facebook. Já para se comunicar o segundo lugar é ocupado pelo e-mail, seguido pelo Facebook e Instagram.

No que concerne à opinião dos internautas brasileiros sobre as narrativas desinformacionais, 46,5% concordam que é de grande importância o debate sobre as fake News, enquanto que cerca de 24% consideram que o assunto não tem relevância social.

Quando perguntados se receberam conteúdo duvidoso de parentes e amigos, dentre os internautas, 74% afirma que sim e 81% considera que deve haver punição para quem produz e faz circular narrativas desinformacionais.

Acesse o site do Datafolha e conheça mais detalhes sobre a pesquisa.

Equipe NUJOC