Gatos podem proteger humanos da infecção pela Covid-19?

 Gatos podem proteger humanos da infecção pela Covid-19?

Médica espanhola foi quem lançou a hipótese ao observar mais casos da infecção em pessoas que não têm um gato de estimação. Por enquanto é só uma hipótese

Circula pelas redes sociais uma notícia segundo a qual os gatos poderiam agir como escudos para a prevenção da Covid-19 em humanos. A matéria original foi publicada no dia 12 de julho no site português Postal.

A médica Sabina Olex-Condor, que trabalha na emergência de uma clínica em Madri, relata que observou entre os pacientes e os profissionais de saúde um índice menor de casos de infecção pela Covid-19 das pessoas que tinham um gato. Ela constatou que, em uma amostragem de 100 pacientes infectados com o novo coronavírus, a maioria não tinha contato com animal de estimação.

“Os pacientes ou familiares de pacientes foram questionados sobre animais de estimação para darmos informações sobre como realizar o isolamento em casa. Foi aí que algo chamou a minha atenção: a maioria não tinha animais de estimação. Alguns alegavam ter cães, mas quase nenhum tinha gatos. Mas é claro, o teste é muito pequeno e eu não fiz estatísticas. Quando for possível, tentarei produzir estatísticas mais confiáveis”, relatou a médica.

A própria notícia já faz a ressalva: não é possível afirmar que a suposta proteção dos felinos é efetiva. A informação se baseia num levantamento informal conduzido pela médica. Não se trata, portanto, de uma investigação científica, mas de uma hipótese com base na experiência clínica de Sabina. Embora possa constituir um ponto de partida, a hipótese ainda precisa ser submetida a testes de validação.

Animais de estimação e a Covid-19 – A notícia de um possível efeito positivo dos gatos no combate à Covid-19 não tem confirmação, mas há muitas outras informações sobre a pandemia que se relacionam com os animais, silvestres ou domésticos.

O próprio coronavírus tem origem provável em mutação de vírus já existente em animais, como esclarece esta postam no portal da Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz. Recentemente foram feitas experiências de infecção de gatos pelo novo coronavírus nos Estados Unidos, mas em situação de laboratório, com altas cargas virais. Apesar de infectados, nenhum dos gatos apresentou sintomas da doença, nem os mais leves, conforme este relato aqui.

A experiência recente nos EUA mostrou que os gatos podem ser infectados pelo novo coronavírus, mas em geral eles não desenvolvem formas severas da doença, o que pode indicar neles a presença de uma defesa natural contra o vírus. Por enquanto não há registro de infecção de humanos por animal doméstico, como gato ou cachorro. As suspeitas de que poderiam ser vetores silenciosos da doença para os humanos ainda estão sendo estudadas, como explica essa matéria aqui.

Assim, as informações disponíveis apontam para risco extremamente reduzido de infecção dos animais para seus donos pela Covid-19, não havendo casos comprovados até o momento. Contudo, para quem já tem a doença, recomenda-se isolamento completo, incluindo em relação aos animais de estimação.

Doenças – Apesar do longo convívio com humanos, os pets podem transmitir algumas doenças, conforme você pode conferir nesta matéria aqui. No caso dos gatos, há doenças respiratórias, como as rinites alérgicas, e aquelas causadas por protozoários, como a toxoplasmose. Todas elas são fáceis de evitar com algumas medidas de higiene. Mas há também alguns benefícios, sobretudo se o convívio com o animal for desde a infância.

O gatinho Cat em seus domínios: o dono do pedaço. Foto: Marcio Granez

Estudo recente da USP, relatado nesta matéria aqui, concluiu que há diversos  benefícios para a saúde em se ter um gato ou outro bichinho de estimação. “Entre as principais observações, pode-se destacar a melhora da imunidade de crianças e adultos, redução dos níveis de estresse e da incidência de doenças comuns, como dor de cabeça ou resfriado”, destaca a matéria.

No período da pandemia, quando o isolamento tende a causar depressão e baixa imunidade, destacam-se aspectos como a redução dos níveis de estresse e ansiedade, proporcionada pela presença dos bichanos e outros pets.

Sim, os gatos podem contribuir para a nossa saúde – com todos os cuidados de higiene necessários ao convívio –, mas ainda não é possível dizer se os pets também ajudam a criar imunidade contra a Covid-19.

Equipe NUJOC

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *