Tratamento precoce não mostra redução na quantidade de mortos ou infectados pela Covid-19

 Tratamento precoce não mostra redução na quantidade de mortos ou infectados pela Covid-19

Recebemos através do aplicativo EuFiscalizo uma matéria publicada pelo site Terra Brasil Notícia com informações sobre o tratamento precoce contra covid-19, reafirmando a sua eficácia “um estudo publicado na revista New Microorganisms and New Infections na terça-feira, 3, apresentou resultados encorajadores no tratamento precoce de covid-19. Entre os pacientes que receberam medicação nos primeiros 7 dias do início dos sintomas, não houve registro de óbito ou internação pela doença. Para pacientes não tratados, a incidência de hospitalização e óbito foi de 19,7% e 1,4%, respectivamente. Além disso, apenas 1,6% dos pacientes curados com este programa desenvolveram a chamada “síndrome pós-coronavírus”. No grupo livre de drogas, essa proporção chegou a 85%.”

Porém um estudo realizado pela Universidade de Oxford associa a utilização da hidroxicloroquina a piora do quadro e morte pela Covid-19 em 1,5 mil pacientes com a doença. “Embora preliminares, esses resultados indicam que a hidroxicloroquina não é um tratamento eficaz para pacientes hospitalizados com Covid-19″, dizem os cientistas de Oxford.

A Organização Mundial de Saúde também chegou a testar o medicamento, Os ensaios Solidariedade foram anunciados pelo diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em 18 de março, mas após algumas pausas foi realizada a suspensão definitiva dos testes com a hidroxicloroquina. “Nós finalizamos uma ligação com todos os pesquisadores no ensaio. Com base nas evidências disponíveis, a decisão tomada foi de parar a randomização com o ensaio da hidroxicloroquina”, explicou a médica Ana Maria Henao Restrepo, do programa de emergências em saúde da organização.

A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) publicou uma matéria explicando que o “kit covid” não tem eficácia comprovada e é desencorajada para utilização contra covid-19, “A Ivermectina, que é um dos medicamentos que fazem parte do kit distribuído por algumas prefeituras e redes de saúde, além de ser defendido por membros do governo federal como tratamento precoce da covid-19. O medicamento antiparasitário tem ação contra vários parasitas como a lombriga e o piolho, mas não tem eficácia contra a covid comprovada por estudos mais rigorosos e publicados em revistas científicas de impacto. O seu uso para esse fim é desencorajado por entidades médicas e farmacêuticas, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela própria fabricante do medicamento.”

Um estudo publicado na revista da Associação Médica Americana (JAMA), comprovou a ineficácia do medicamento na sua utilização de forma precoce contra covid-19. Um dos medicamentos utilizado no “kit covid”, a hidroxicloroquina que também não teve eficácia comprovada contra a covid-19 ou em utilização precoce. O Nujoc checagem já verificou outras informações sobre tratamento precoce, para mais informações, clique aqui.

Equipe NUJOC