Turistas que tomaram a vacina Coronavac podem ser barrados de entrar na União Europeia?

 Turistas que tomaram a vacina Coronavac podem ser barrados de entrar na União Europeia?

A entrada de visitantes só será permitida caso os turistas tenham recebido vacinas aprovadas pelo bloco euroupeu.

A retomada de algumas atividades não essenciais tem acontecido de forma gradual em alguns países do continente europeu, onde a vacinação contra a Covid-19 já avançou consideravelmente. Setores que movem a economia como os do entretenimento e do turismo, começam a flexibilizar suas atividades, e em alguns lugares é possível até assistir a shows e visitar cidades que fazem parte da União Europeia.

No entanto, alguns protocolos sanitários e de segurança foram estabelecidos para que a recepção de turistas e viajantes da própria União Europeia seja feita de forma cautelosa sob fiscalização e acompanhamento dos visitantes. Até o momento, apenas turistas de sete países tem permissão para entrar no bloco. Também fica liberada a entrada de qualquer pessoa que tenha recebido as doses necessárias de alguma das vacinas aprovadas, em um periodo de pelo menos duas semanas antes do embarque.

Para cumprir e realizar a fiscalização, a União Europeia propôs a criação de um certificado digital de imunização, que funcionará como forma de verificar o estado de saúde das pessoas que ingressaram em países europeus. A cada 14 dias um diagnóstico é realizado para medir o avanço ou o recuo de novos casos da Covid-19. 

Segundo reportagem da Época,    a União Europeia também conta com um mecanismo de freio de emergência se houver um agravamento de casos.

“Caso ocorra um surto de novas variantes ou os países de origem estejam em grave crise sanitária, os Estados poderão rever a política e limitar a entrada de certos viajantes. O plano prevê revisões periódicas a cada duas semanas.”

Outro critério estabelecido para a entrada de estrangeiros nos países europeus refere-se as vacinas que foram aplicadas nos turistas. Atualmente,os imunizantes autorizados são os que foram fabricados pelas empresas AstraZeneca; Johnson&Johnson; Pfizer e Moderna. A Coronavac desenvolvida pela Sinovac, ficou  fora da lista. Entretanto, é provável que a vacina possa entrar na lista de autorização após a reunião do conselho europeu para avaliar os resultados obtidos até agora com a flexibilização do trânsito de pessoas entre países.

De acordo com o portal G1: O conselho decide quais os países de onde podem sair viajantes com base em critérios epidemiológicos. A regra atual é que somente países onde a taxa de infecção por 100 mil pessoas é 25 nos últimos 14 dias. A proposta é alterar essa taxa para 100 notificações nos últimos 14 dias. A taxa brasileira da semana mais recente disponível é de 400. No passado recente, esse índice já foi de 495.

Em suas redes sociais, Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia comentou que: “É hora de reviver a indústria do turismo na UE e de reacender as amizades além das fronteiras – com segurança”

O Brasil ficou de fora da listas de países autorizados a entrar na União Europeia, pois a situação epidemiológica de casos e o número de mortos no país continua em alta. Além do mais, o calendário de vacinação precisou ser suspenso em alguns estados devido à falta de imunizantes para aplicar a segunda dose de vacinas contra a Covid-19.

Equipe NUJOC