Vacina Coronavac tem baixa eficácia?

 Vacina Coronavac tem baixa eficácia?

(Jason Lee/Reuters)

Sem entrar em detalhes, Gao Fu, diretor do Centro de Controle de Doenças da China, ressaltou a possibilidade de misturar vacinas para potencializar sua eficácia

A fala do diretor do Centro de Controle de Doenças da China, Gao Fu, no último dia de 10 de abril de 2021, em uma conferência realizada na cidade de Chengdu, onde o mesmo afirma estar avaliando a possibilidade de misturar vacinas produzidas contra a Covid-19 e desta forma torná-las mais eficientes contra as ações do vírus no organismo humano. Este pronunciamento gerou grande repercussão na mídia e no mundo inteiro, pois, no mesmo evento o dirigente disse que, essa seria uma solução bastante viável para o momento tendo em que as vacinas produzidas na China “não tem taxas de proteção muito alta”.

O mesmo ainda acrescentou que neste momento essa empreitada “está sob consideração formal se devemos usar vacinas diferentes de linhas técnicas diferentes para o processo de imunização”.

A admissão de Gao Fu fez vir à tona muitas discussões a respeito da segurança e eficácia da vacina, que inclusive tem sido utilizada no Brasil em seu programa de imunização da população.

Segundo reportagem do Portal G1, “Especialistas dizem que a mistura de vacinas, ou imunização sequencial, pode aumentar a eficácia. Pesquisadores britânicos, por exemplo, estão estudando uma possível combinação da Pfizer-BioNTech , que usa mRNA (ou RNA mensageiro), com a vacina Oxford/AstraZeneca, de tecnologia mais tradicional. Gao não deu detalhes sobre as eventuais mudanças na estratégia, mas citou a tecnologia de mRNA como uma possibilidade.

“Todos deveriam considerar os benefícios que as vacinas de mRNA podem trazer para a humanidade”, disse Gao. “Devemos seguir com atenção e não ignorar só porque já temos vários tipos de vacinas.”

Equipe NUJOC