Vacinas da Pfizer e AstraZeneca podem reduzir pela metade os níveis de transmissão da Covid-19?

 Vacinas da Pfizer e AstraZeneca podem reduzir pela metade os níveis de transmissão da Covid-19?

reuters-vacinas-covid-19-1500-02052021102942367

O estudo ainda precisa ser revisado, mas os resultados indicam que uma única dose das vacinas pode reduzir os níveis de transmissões em até 49%.

Um estudo realizado pela Public Health England, mostrou que pessoas que foram infectados em intervalo de até três semanas após receberem a primeira dose dos imunizantes da Pfizer e AstraZeneca, tiveram de 38% a 49% menos probabilidade de transmitir o vírus para quem não recebeu nenhuma dose dos imunizantes, especialmente, em ambientes domésticos no qual o risco de contágio é maior.

Os dados consideraram apenas esses dois imunizantes para a realização do estudo porque são os únicos disponíveis no Reino Unido para imunizar a população. Os resultados iniciais mostram que a probabilidade de transmissão domiciliar é 40 a 50% menor para famílias em que pessoas foram vacinados entre 21 dias ou mais antes de testar positivo, se comparado a casos de pessoas que não receberam nenhum imunizante.

As pesquisas mostram que após o momento da vacinação, a redução de transmissão pôde ser detectada 14 dias após a aplicação dos imunizantes, ou seja, dentro do período de tempo no qual presume-se que a eficácia e proteção contra a Covid-19 esteja completa. Esses resultados dão confiança à conclusão geral de que a vacinação reduz a transmissão.

Em reportagem da BBC, os órgãos que conduziram os estudos comentam que “esta proteção se soma ao risco reduzido de uma pessoa vacinada desenvolver infecção sintomática,em primeiro lugar, que é em torno de 60 a 65% – quatro semanas após uma dose de qualquer uma das vacinas”.

Mary Ramsay, chefe de imunização da PHE, disse: “As vacinas são vitais para nos ajudar a voltar a um estilo de vida normal. As vacinas não apenas reduzem a gravidade da doença e evitam centenas de mortes todos os dias, agora vemos que também têm um impacto adicional na redução da chance de passar a covid-19 para outras pessoas.”

Apesar de nenhuma vacina oferecer 100% de eficácia, este estudo aponta para importância de todas as pessoas serem vacinadas, visto que os índices de transmissão e desenvolvimento de casos graves da doença estão sendo evitados e drasticamente reduzidos pela cobertura vacinal dos imunizantes. Além do mais, mesmo em casos leves, os índices de transmissão ficam bastante atenuados. E isso evita possíveis disseminação do vírus em ambientes domésticos ou de convívio comum, como locais de trabalho, interior de ônibus, entre outros.

Em sua reportagem, a BBC informa que: O estudo, que ainda não foi totalmente revisado por pares, considerou mais de 57 mil contatos de 24.000 domicílios nos quais uma pessoa teve infecção por coronavírus confirmado em laboratório após receber a primeira dose da vacina. Esses dados foram comparados com quase 1 milhão de contatos de casos de não vacinados.

No site oficial do Governo Britânico,o Secretário de Saúde e Assistência Social, Matt Hancock, afirmou: Esta é uma notícia excelente – já sabemos que as vacinas salvam vidas e este estudo contém os dados mais abrangentes do mundo real, mostrando que também reduzem a transmissão deste vírus mortal. Além disso, reforça que as vacinas são a melhor maneira de sair desta pandemia, pois protegem você e podem impedir que você infecte alguém em sua casa sem saber. Este é um grande esforço nacional e venceremos o vírus juntos.

Para conferir o estudo na íntegra, clique aqui.

Equipe NUJOC