Falso: não existe evidência de que o protocolo da cloroquina levou ao aumento de pacientes curados por Covid-19

 Falso: não existe evidência de que o protocolo da cloroquina levou ao aumento de pacientes curados por Covid-19
Foto: Reprodução/Instagram

Uma publicação no Instagram de fãs da primeira dama Michele Bolsonaro (veja acima) afirma que “após protocolo da cloroquina, Brasil se torna o segundo país do mundo em curados da Covid-19”. A denúncia foi enviada para o aplicativo Eu Fiscalizo, parceiro do Nujoc Checagem. Na noite dessa quinta-feira (2), o mapa da Universidade Johns Hopkins, referência nos estudos sobre a Covid-19, mostra o Brasil na liderança do número de recuperados em escala mundial, com 935.577 pessoas curadas. O Brasil é hoje o segundo país com mais mortes e mais infectados por Covid-19. Após checagem, o Nujoc Checagem não localizou informação oficial de que o número de curados acontece em razão do uso da cloroquina. Na publicação checada, o número de recuperados é erroneamente atribuído ao uso do medicamento.

Não existe comprovação científica acerca da eficácia do uso da cloroquina no combate à Covid-19. Pelo contrário: segundo esta reportagem do site Uol, “sem resultados, hospitais do país abandonam a cloroquina para Covid-19”. Até mesmo a Organização Mundial da Saúde (OMS) suspendeu os testes com a medicação.

O próprio termo de consentimento para o uso da cloroquina no tratamento, que deve ser assinado pelo paciente, afirma que “não existe garantia absoluta sobre os resultados a serem obtidos” e que “pode ocorrer complicações durante e/ou após os cuidados”.

—–

Entenda o caso

Diversas figuras do governo federal, como ministros e o próprio presidente Jair Bolsonaro, tem defendido o “milagre da cloroquina”, afirmando que o remédio é de fato efetivo contra a Covid-19. O protocolo começou a ser usado no Piauí sob coordenação da médica Marina Bucar Barjud, que trabalha no Hospital HM Puerta de Sur, em Madri, na Espanha.

Entretanto, não há nenhuma evidência de que a medicação seja “milagrosa” como diversos setores da sociedade querem fazer crer. Esta reportagem do site The Intercept Brasil afirma que “milagre da cloroquina importado de Madri e importado por médica do Piauí não funciona nem na Espanha”.

A ministra Damares Alves chegou a viajar, em meados de maio, até a cidade de Floriano, no interior do Piauí, para ver de perto o trabalho realizado pelos médicos no município. Ela foi embora da cidade afirmando que levaria o protocolo para o Brasil inteiro, o que de fato aconteceu: na semana seguinte à visita de Damares ao Piauí, mais exatamente no dia 20 de maio, o Ministério da Saúde divulgou o protocolo para o tratamento precoce, com cloroquina e hidroxicloroquina, de pacientes com Covid-19 no SUS.

Dois dias depois da visita de Damares ao Piauí, o médico Justino Moreira afirmou, em entrevista ao Uol, que o protocolo não estava funcionando.

Equipe NUJOC

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *